Processos psicológicos


Ao estudar Psicologia e Religião, vimos as implicações que as crenças religiosas cristãs têm em alguns processos psicológicos como: Luto, Criação de Sentidos e Sofrimento.

Luto – Este é um momento, segundo KOVACS, em que “é a vivência da morte consciente, é como se uma parte nossa morresse”. E, segundo LANGARO, a espiritualidade ocupa lugar muito especial nas situações de perdas de familiares e, portanto, de ressignificação da vida, quer a pessoa seja membro de uma igreja ou tenha uma abertura ao transcendente não mediado diretamente pela religião.

Criação de Sentidos – Para AMATUZZI há dois sentidos importantes para a religião como experiência subjetiva: O primeiro sentido seria que as vivências interagem no relacionamento com o divino, tendo empatia com o sofrimento e aprender uma lição no enfrentamento, seja de origem boa ou má. E o segundo sentido seria que as vivências interagem no relacionamento com um sentido último, não importa como ele seja denominado, e assim, resultando num modo mais amplo de lidar com o transcendental.

Sofrimento – Entende-se que a experiência religiosa dá ao indivíduo a capacidade de questionar a aflição e o fragelo. O sujeito passa a perceber certa mudança de perspectiva e enxergar a realidade a partir de outras possibilidades.

Um homem na Bíblia que passou por estes processos psicológicos foi Jó. Ele teve as suas perdas, seus sofrimentos, seus lutos e sua fé em Deus foi desafiada. Mas, a sua experiência pessoal e confiança com o transcendental, o levou vencer o sofrimento e dar a volta por cima das dificuldades.

Quando o indivíduo passa pela experiência do sofrimento, seja luto, doença, problemas conjugais, de relacionamento, etc.. O enfrentamento e a vitória sobre a situação lhe dá a oportunidade de dizer às pessoas – que estão passando pelos mesmos dilemas – que elas podem também enfrentar e confiar no divino, através da experiência da fé.

Autor: Márcio Batista
Foto: 90 Minutes in Heaven...Faith, Hope, Love

Artigo referente a participação no Fórum de Discussão na disciplina Psicologia e Religião na Integralização do Bacharel de Teologia da Faculdade Refidim de Joinville, SC.

Referências:
KÓVACS, M. J. Perdas e o processo de luto. In: INCONTRI, D.; SANTOS, F. S. (Org). A Arte de Morrer – Visões Plurais. Bragança Paulista, SP: Editora Comenius, 2007a.
ZINDULIS, A. C.; TAMANINI, M. B. R; LANGARO, F. Influências da espiritualidade no enfrentamento do luto. Azusa: Revista de Estudos Pentecostais. Joinvile, SC. V.6, N.1 (10) 2015. Disponível em http://azusa.ceeduc.edu.br/index.php/azusa/article/view/95. Acesso em 07 novembro 2015.
AMATUZZI, Mauro Martins. Fé e Ideologia na Compreensão Psicológica da Pessoa. In: Psicologia: Reflexão e Crítica, 2003.


______________________________
É proibido copiar os artigos deste site. A publicação dos artigos aqui postados em outros sites, blogs, impressos, trabalhos acadêmicos, ou  trabalhos científicos devem seguir a regra da ABNT. Copiar deliberadamente na íntegra qualquer conteúdo deste site, implica em crime, previsto no Código Penal. Lei do direito autoral. Todos os direitos reservados a Márcio Batista de Florianópolis, SC, Brasil.

Postagens mais visitadas

Imagem

Vontade de Deus